Agressividade Infantil


A fase oral, segundo Freud, é uma fase de muitas descobertas. É através da boca que a criança tem seu contato com o mundo e pode experienciá-lo de forma prazerosa. Além de obter satisfação ao usar sua boca para se alimentar, o uso da boca também pode demonstrar seu sentimento de agressividade ao mundo por algum motivo. Essa rebeldia tem a ver com a forma de reivindicar, de se opor e de se apresentar ao outro de forma diferenciada e isso é uma forma importante no desenvolvimento. Essa diferenciação do outro é importante para o auto-conhecimento e formação do eu do sujeito.

A mordida como uma forma simbólica de representar a insatisfação não deve ser incitada nem muitos menos influenciada, e os pais, ao perceberem a raiva ou tristeza demonstrada através de comportamentos como: mordidas, beliscões, empurrões, tapas, deve tentar dialogar com a criança explicando porque isso não deve se repetir, mostrando-os caminhos alternativos de manifestar seu descontentamento, já que as mesmas não conhecem. Compreender que há um sentimento motivador desse comportamento já é um bom começo. Quando esses comportamentos ocorrem? Com que frequência? Qual a ação dos cuidadores quando isso se apresenta? Porque se a criança bate e os cuidadores incentivam, sorriem, acham legal, a criança tenderá a repetí-los buscando inclusive atenção.

Como forma lúdica para trabalhar o assunto, deve-se dar o acesso a livros que falem sobre isso, vídeos educativos, brincadeiras com fantoches ou bonecos, mostrando as consequências que essas atitudes podem ocasionar: por exemplo, afastamento dos colegas, tristeza, medo, e assim por diante.
E o ambiente no qual a criança vive também deve ser motivo de análise e investigação. Se a criança está presenciando brigas, discussões ou algo que está lhe incomodando ela pode sim apresentar essa raiva simultaneamente nos ambientes que frequenta como forma de tentar aliviar seu sofrimento.

O importante é investigar. Não hesite em procurar um profissional especializado se isso persistir.

Um abraço e boa sorte!
Juliana Benevides
Psicóloga CRP 17.844
Life Coach
061 9138-3359

agressao01_materia

2 comments

Adicione o seu
  1. Leila Costa 7 janeiro, 2015 at 13:54 Responder

    Meu filho mais novo tem 1 anos e 3 meses e esta apresentando esse comportamento, tenho outros 2 filhos, um com 15 anos e outro com 11 anos. O bb tbm tem apresentado agressividade ao jogar brinquedoa fora do cercadinho, barraquinga dele, do espaço onde ele estiver brincando, e ainda bate em tds, temos repreendido, e feito algumas reaçoes de não aceitação desse comportamento, adimito que está difícil. Mas amei a ajuda, obrigada, abriu outras portas para o ajudarmos. PARABÉNS pela iniciativa; muito importante e util. Bjs…..

Post a new comment